Organização e funcionamento

Mandato 2017-2020

O Museu de Agricultura de Fermentões entrou numa nova fase de funcionamento, pelo que carece de uma nova forma de organização.

Tratando-se de uma Estrutura integrada na Casa do Povo de Fermentões, tendo em consideração as dificuldades económicas por que o País está a passar, é compreensível que, de momento, não seja possível assegurar o pagamento de um Funcionário, para além do que, neste momento, já acontece, e que resulta de uma Parceria com a Câmara Municipal de Guimarães.

É previsível, entretanto, que, no âmbito do Programa de Cooperação Portugal/União Europeia – Norte 2020 – venha a ser possível a apresentação de uma, ou mais que uma candidatura a Fundos Europeus e que, dessa forma, venha a ser possível encontrar novas formas de apoio ao financiamento do Museu.

Por outro lado, no âmbito de Parcerias que vamos tentar acordar, nomeadamente, com Universidades e outras Entidades, talvez seja possível, também, encontrar oportunidades de se passar a poder contar com Alunos, em Programas de Estágios Curriculares e/ou Estágios Profissionais.

Neste contexto, e neste momento, pretende-se proceder à instalação de uma Estrutura Organizacional, que poderá vir a ser objeto de alterações, no entanto, conforme a experiência o venha a aconselhar.

Assim, o Museu de Agricultura de Fermentões passa a ser assegurado por uma Estrutura de Organização Interna, nos seguintes termos:

I – Conselho Científico
II – Comissão de Acompanhamento e de Dinamização
III – Conselho Geral

Pretende-se, então, ensaiar uma nova forma de organização e de funcionamento do Museu de Agricultura, passando-se a contar com colaboração de Personalidades da área Técnica e Científica, com a celebração de Parcerias entre a Casa do Povo com Universidades e Organizações da área da Cultura, nomeadamente o Museu Alberto Sampaio, de Guimarães, e o Museu Soares dos Reis, no Porto.

Por outro lado, para a área da gestão do dia-a-dia, passamos a contar com um conjunto de Personalidades, da Comunidade de Fermentões, no âmbito de uma Comissão de Acompanhamento e de Dinamização do Museu.

E pretende-se, também, passar a contar com um Conselho Geral que, para além de incluir, por inerência, os Membros da Mesa da Assembleia-Geral, da Direção e do Conselho Fiscal da Casa do Povo de Fermentões, integra, entretanto, Personalidades da Comunidade de Fermentões, e da Região, direta ou indiretamente relacionadas com a criação e o funcionamento do Museu de Agricultura de Fermentões, bem como Personalidades e Entidades que podem contribuir para uma nova dinâmica de desenvolvimento, e de intervenção do Museu, na Região, no País e no Mundo Global em que vivemos.

I Conselho Científico

O Conselho Científico é integrado por:

Direção Técnica

A Direção Técnica, a quem cabe a responsabilidade de garantir a qualidade científica e técnica, para um normal funcionamento, na perspetiva de que o mesmo possa responder aos novos desafios que se lhe colocam, sendo constituída nos seguintes termos:

Directora – Drª Maria João Vasconcelos, Directora do Museu Soares dos Reis, Porto

Director Adjunto – Arq. Miguel Frazão, Director de Serviços na Câmara Municipal de Guimarães

Por proposta da Directora, poderão ser designados Diretores Adjuntos, por áreas de especialidade.

Conselheiros Técnicos e Científicos

Drª. Adelina Pinto
Vereadora da Cultura
Câmara Municipal de Guimarães

Drª. Isabel Fernandes
Directora do Paço dos Duques de Bragança e do Museu Alberto Sampaio

Prof. Doutor António Magalhães da Silva Ribeiro
Professor de História na Universidade do Minho

Dr. António Ponte
Director da Cultura Norte

Dr. António Emílio de Abreu Ribeiro
Empresário

Drª. Margarida Correia
Conservadora no Museu Soares dos Reis

Drª. Alice Sofia de Freitas Soares Ferreira
Vereadora do Turismo
Câmara Municipal de Guimarães

Maria Adelaide Cardoso Morais
Escritora

Drª. Ana Luisa Folhadela
Técnica no Museu Alberto Sampaio

Arq. Alexandra Gesta
Técnica da Câmara Municipal de Guimarães

Prof. Doutor Padre Eduardo Duque
Professor de Sociologia, na Universidade do Minho

Isabel Maria de Freitas Soares Ferreira
Professora no IPCA
Instituto Politécnico do Cávado e do Ave – Barcelos

Drª. Maria José Queirós
Técnica no Museu Alberto Sampaio

Prof. António José Oliveira
Professor de História

Prof. José Pinheiro
Director do Agrupamento de Escolas Fernando Távora

Dr. Armindo Cachada
Academia de Música Valentim Moreira de Sá – Guimarães

Dr. Luis Pedro Martins
Presidente da Região de Turismo Porto e Norte de Portugal

Hugues de Varine
Ex-Director Geral do ICOM
Paris

Professor Antero Ferreira
Director da Casa de Sarmento

Arq. Bernardo Ferrão
Casa da Covilhã
Fermentões – Guimarães

Dr. Pedro Cardoso
Colaborador do Museu

Doutora Daniela Cardoso
Técnica da Sociedade Martins Sarmento – Guimarães

II – Comissão de Acompanhamento e de Dinamização do Museu

Para apoiar a Direção Técnica, no dia-a-dia, e sob a sua orientação geral, é constituída uma Comissão de Acompanhamento e de Dinamização do Museu, nos seguintes termos:

Manuel Ferreira – Coordenador
Drª. Anabela Castro
Ana Maria Cardoso
Dr. Apolinário Teixeira
José Rodrigues da Silva
João Manuel Ferreira
Joaquim Araújo
José António Freitas
Drª. Maria João Pinto
João Morais
Dr. Pedro Cardoso
Drª. Olga Faria
José Luís Braga
Drª. Vanessa Abreu
Drª. Teresa Fertuzinhos
Carlos Silva

Cabe à Comissão de Acompanhamento e de Dinamização a missão da organização funcional do Museu, a sua gestão e administração, bem como a organização de Eventos, no Museu, e a sua participação em Eventos externos, em Parcerias que, para o efeito, sejam constituídas.

Nomeadamente, em articulação com a Direção Técnica e com o Presidente da Casa do Povo, incumbe, também, à Comissão de Acompanhamento e de Dinamização, a procura de financiamentos, designadamente através da apresentação de candidaturas a Programas Europeus, ou outros, podendo recorrer, sempre que necessário, ao estabelecimento de Parcerias, para se atingirem tais objetivos.

Neste contexto, o Coordenador da Comissão de Acompanhamento e de Dinamização responde perante a Direção Técnica e perante o Presidente da Casa do Povo.

III – Conselho Geral

É criado um Conselho Geral do Museu de Agricultura de Fermentões, procurando-se, desta forma, envolver Personalidades que exercem, ou exerceram, funções, direta ou indiretamente, ligadas com o desenvolvimento da Comunidade, nomeadamente, na Área da Educação e da Cultura.

Pretende-se o envolvimento, também, de Jovens Licenciados da Freguesia de Fermentões, motivando-os para um trabalho de apoio ao desenvolvimento da Comunidade.

Do mesmo modo, pretende-se a integração, neste Conselho Geral, de Personalidades não residentes em Fermentões, mas que, de uma forma ou outra, estiveram intimamente ligadas à criação e ao funcionamento do nosso Museu.

Neste contexto, para além dos Membros da Mesa da Assembleia-Geral, da Direção e do Conselho Fiscal, da Casa do Povo de Fermentões, passarão a integrar o Conselho Geral, Personalidades diversas, a convidar, oportunamente.

Create your website with WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this: